Arquivo | setembro 2015

Macacão amarelo em visita ao Vaticano

A primavera chegou, o sol voltou aqui pelo sul, e com ela, nosso ânimo! Tudo fica mais colorido e feliz nos dias iluminados, né? Neste clima, o post de hoje é de um dia ensolarado de verão no Vaticano, usando um look amarelo!!! Depois de visitar os principais pontos turísticos de Roma, passamos um dia inteiro conhecendo o menor Estado soberano do mundo, onde fica a sede da igreja católica. Estava novamente muito quente e as filas para entrar nas principais atrações eram enormes! Por isso, indo em alta temporada, compre ingressos com antecedência! Basicamente se deve entrar em dois lugares: na Basílica São Pedro e no Museu do Vaticano, além de visitar a Praça São Pedro (aberta ao público). O que se vê por lá?

  • Basílica São Pedro: é a maior, mais importante e mais visitada construção católica do mundo, com  23 000 m² de área (cabem 60 mil fiéis).  Contém 340 estátuas, sendo a mais importante a Pietá, de Michelangelo (Jesus morto nos braços de Maria). Sob seu altar está enterrado São Pedro, um dos 12 apóstolos de Jesus e primeiro Papa, assim como outros papas.  Sua construção começou em 18 de abril de 1506 e foi concluída em 18 de novembro de 1626.
  • Praça de São Pedro: É a praça onde fica a Basílica e onde são celebradas missas e eventos religiosos públicos. Foi desenhada por  Bernini no século 18 em estilo clássico e barroco, e em seu centro encontra-se um obelisco antigo egípcio. É composta de dois conjuntos ovais de colunas, onde encontram-se 140 estátuas de santos e mártires, papas e fundadores de ordens religiosas, além de fontes de bronze.
  • Museu do Vaticano: Situado próximo à Praça de São Pedro, reúne o Museu Vaticano é um conglomerado de renomadas instituições culturais da Santa Sé, que abrigam extensas e valiosas coleções de arte e antiguidades colecionadas ao longo dos séculos pelos diversos pontífices romanos. As obras estão abrigadas em galerias e capelas. O ponto mais importante é a Capela Sistina, residência oficial do papa, cujo teto foi pintado por Michelangelo (representando o famoso dedo do Criador).

PS: Sobre meu look, usei um macacão de crepe com flores bordadas na gola (modelo canoa), rasteirinha de couro bem confortável e uma bolsa preta transversal, que havia comprado em Roma com um artesão de couros locais. Como estava quente demais, prendi os cabelos e arrematei com uma trança.

1234567891010a16111213141517

De volta a encantadora Roma (passeios e looks!)

Depois de sete anos sem ir a Roma (a última vez tinha sido com minha irmã, em fevereiro de 2008), voltei a curtir as delícias da capital da Itália, desta vez no verão e com o marido. Relembrei alguns pontos turísticos clássicos, como o Coliseu, Fórum Romano, Palatino, Circo Maximus, Panteon, dentre outros, e conheci lugares novos, como o Campo de Fiori, Rio Tibre, Piazza Navona. Ficamos 4 dias na cidade, sendo um dedicado ao Vaticano (amanhã mostro aqui!) e os outros a caminhar sem pressa pelas ruas agitadas e abarrotadas de Roma. Mesmo escolhendo looks leves, como vestido, saia e cropped, estava muito calor, e o jeito foi se refrescar de tempos em tempos com um típico gelato (sorvete) ou com água geladinha mesmo. A noite, é claro que não deixamos de provar as pizzas e massas, especialidades do país. O que é imperdível por lá? Fiz uma listinha para ajudar:

  • Relembrar as aulas de história do colégio no Fórum Romano, Palatino e Circo Maximus, assim como observar cada detalhe do Coliseu (imagine-se naquela época, quando aconteciam os duelos?! Solte sua imaginação!)
  • Admirar a arquitetura da cidade, bem como suas obras de arte (fontes, estátuas…). Pontos altos: Monumento a Vitorio Emanuelle, Panteon e Campidoglio
  • Almoçar, comprar frutas pela manhã na feira ou tomar uma taça de vinho ao final da tarde no Campo di Fiori – lugar jovem, movimentado, cheio de restaurantes e bares
  • Comprar telas ou gravuras de artistas de rua na Piazza Navona, onde também se pode apreciar as fontes de água
  • Jogar uma moedinha e fazer um pedido na Fontana di Trevi – infelizmente desta vez ela estava em reforma
  • Namorar na Piazza Spagna ao pôr do sol, com algum músico tocando violino ou violão, e depois andar de charrete na Piazza del Popolo
  • Fazer um pedido e se divertir com a Bocca della Veritá (não vale mentir, senão a boca morde sua mão…hehehe!!!)
  • Caminhar pelas margens do Rio Tibre

1234567IMG_0823IMG_0825IMG_0810IMG_0832IMG_0835IMG_0840IMG_0847IMG_0856IMG_0861IMG_0863IMG_0865IMG_0866IMG_0868IMG_0870IMG_0889IMG_0890IMG_0877IMG_0941IMG_0906IMG_0955IMG_0965IMG_1009IMG_1008IMG_0991IMG_1001IMG_1022IMG_1021IMG_1024IMG_1014IMG_1027IMG_1036IMG_1032IMG_1037IMG_1041IMG_1044IMG_1043IMG_1047IMG_1051IMG_1050IMG_1060

Vitrines da Europa: o que usar no verão

Como já é de meu costume, durante a viagem recente a Europa fotografei vitrines que considerei atraentes, com alguns looks frescos para nos servir de inspiração para o verão e outros aos dias de frio. Isso porque nesta época do ano as lojas européias passam por um período transitório: de um lado, roupas leves da estação corrente (verão), muitas até sendo liquidadas, e, de outro, lançamentos para o próximo outono/inverno. Para nós, brasileiros, isso é ótimo, já que por aqui as temperaturas andam variando muito! Confesso que os locais onde mais renderam cliques foram as cidades italianas de Florença, Roma e Verona, mas também achei peças interessantes pela Croácia (Dubrovnik, Hvar e Zagreb) e na Eslovênia (Liubliana). A campeã de vitrines bafônicas foi a capital da Itália, especialmente na famosa Via dei Condotti, uma rua só de grifes internacionais. De babar!!!! Fotografei Chanel, Emilio Pucci, Gucci, Cavalli, Balenciaga, Louis Vuitton, Dior, Dolcce & Gabbana, Valentino, Versace, Givenchy, Prada, Hermes, MiuMiu, Moschino, MaxMara, Giorgio Armani, Herve Leger e Missoni. Tem vestidos, calças, blusas e até bolsas e calçados. Então escolha os seus preferidos, salve no desktop e copie nas próximas produções!!!

IMG_0012

IMG_0011IMG_0057IMG_0103IMG_0106IMG_0107IMG_0108IMG_0110IMG_0113IMG_0114IMG_0115IMG_0116IMG_0118IMG_0120IMG_0123IMG_0124IMG_0125IMG_0126IMG_0127IMG_0308IMG_0327IMG_0329IMG_0891IMG_0892IMG_0893IMG_0894IMG_0896IMG_0902IMG_1064IMG_1066IMG_1069IMG_1070IMG_1074IMG_1076

IMG_2274IMG_2276IMG_2290IMG_2703IMG_2706IMG_2769IMG_2791IMG_2793IMG_2794IMG_2795IMG_2796IMG_2798IMG_2800IMG_2801IMG_2811IMG_2812IMG_2813IMG_2816IMG_2817

Look + conhecendo a torre de Pisa, na Itália

Na mesma noite em que assistimos ao show de Andrea Bocelli (leia aqui), dirigimos até a cidade de Pisa, também na Toscana, distante a menos de 1 hora da terra do tenor, para dormirmos por lá. Confesso que nossa escolha por esta próxima parada se deveu ao fato de haver poucos hotéis disponíveis ao redor de Lajatico, e como Pisa estaria no caminho de Roma, nosso destino seguinte, já aproveitaríamos para conhecer a famosa torre “caída”. E assim aconteceu: chegamos em Pisa na madrugada, paramos famintos na única lanchonete aberta, comemos um sanduíche e procuramos desesperadamente pelo nosso hotel…afinal, o cansaço era master!!! Já recuperados, na manhã seguinte fomos até o local mais visitado desta bela comuna italiana: a Piazza dei Miracoli, principal espaço público, onde fica a Catedral (Duomo), o Batistério e a Torre Sineira (Campanário – que parece estar “tombando”).

Obviamente logo corri empolgada  para fazer a clássica foto “empurrando/segurando” a torre, assim como centenas de turistas estavam tentando – e esta parte é engraçada, porque além de disputar um “lugar ao sol”, você ainda tem que se esforçar para tudo dar certo, enquanto o marido reclama das milhares de patetices e cliques frustrados, hahaha. Bem, mas depois de finalmente conseguir uma foto “mais ou menos” com a torre de Pisa, caminhamos pelo centro da cidade, onde há uma simpática rua principal cheia de restaurantes. Por ali degustamos presunto parma, queijos típicos, massinhas de pizza e outras delícias italianas. Também compramos souvenirs e um sorvete para espantar o calor de quase 40 graus.

Pisa, apesar de não ter tantas atrações turísticas, é bastante interessante pela sua história e arquitetura. Descobertas arqueológicas recentes revelaram a existência de um grande porto fluvial da época romana no seu subsolo. Foram encontradas mais de 30 embarcações de vários modelos, algumas delas intactas e ainda com a mercadoria que transportavam. E seria por ali ter existido mar que a torre de mármore, de oito andares (onde se pode subir) teria se inclinado. Outra história interessante é a de que São Pedro teria desembarcado no porto de Pisa para pregar o Evangelho, e dali, seguido para Roma. Além da história, a arquitetura se torna diferenciada pela mistura de casarios coloridos italianos com imponentes prédios brancos de mármore. Outro ponto alto também é o Rio Arno (mesmo de Florença) e suas margens. Ou seja: uma cidade que vale a pena pelo menos um bate volta de um dia!

Veja as fotos e meu look do passeio – calça culote de linho + sandália gladiadora + cropped estampado

 

12344a56791011121315816

 

 

Show de Andrea Bocelli e visita a Lajatico

Como cantora, ex-coralista e apaixonada por música, sempre tive vontade de assistir a um show de Andrea Bocelli, ums das minhas vozes favoritas. Já havia espiado a agenda dele no site oficial diversas vezes, mas as datas e locais nunca coincidiam com minhas viagens. Foi quando, em abril passado, me deparei com algo que imaginei ser imperdível: um grande show comemorativo aos 10 anos do Teatro del Silenzio, anfiteatro a céu aberto, criado e mantido pelo tenor em sua cidade natal, Lajatico, na Toscana. E ainda com convidados especiais! Corri para comprar passagem aérea, e para minha sorte achei uma bem interessante, justamente para onde tentamos ir em família em 2012, mas desistimos no meio do caminho por conta do terremoto que teve na época. Estava feito o pacote: Bocelli, Toscana, FLORENÇA, Itália!!!! E foi assim que surgiu esta viagem, tendo como objetivo principal a apresentação.

Então, depois de visitarmos Firenze (leia a matéria aqui), alugamos um carro e dirigimos até a graciosa Lajatico, entre Volterra e Pisa – tanto é que depois do show, dormimos em Pisa. O município, no alto daquelas colinas típicas verdinhas da Toscana (coisa de filme!!), tem pouco mais de 1.380 habitantes, distribuídos em 72km quadrados. Ou seja, bem pequena…mas uma simpatia de lugar! Por lá tudo é florido, colorido e com aquele clima intimista de interior. Tudo e todos “respiram” Bocelli, o cidadão mais ilustre. Cinema, museu, igreja, praças e até um restaurante levam seu nome ou foto. Também pudera, o cantor trata o local com tanto carinho, que construiu há uma década um teatro no qual incentiva a arte e música. E foi justamente lá seu show, como acontece anualmente. No Teatro del Silenzio, em uma noite quente de verão europeu, sob um céu estrelado, diante de uma grande orquestra, coral e cenário de tirar o fôlego, vi pela primeira vez Bocelli soltar seus agudos e emocionar a todos por mais de duas horas, com canções solo e duetos com convidados. Claro que não aguentei e fui às lágrimas também, principalmente nas emblemáticas “Con te Partiro”, “Canto della Terra“, “Granada” e “Nessun Dorma”, que encerrou esta noite memorável! Um das coisas imperdíveis da vida!

Veja as fotos do passeio por Lajatico e do show de Andrea Bocelli:

Assista aqui Nessun Dorma, a música de encerramento do show

1IMG_04293

45677a89101112131415171819202123242526272833323130353437383940

Tour pelo Museu Gucci, em Florença

Localizado no coração de Florença, no histórico Palazzo della Mercanzia (de 1337), na Piazza Signoria, o Museu Gucci é um dos pontos de visitação obrigatórios para quem gosta de moda e arte. O projeto, idealizado pela diretora criativa da marca, Frida Gianinni, é composto por uma exposição permanente de peças guardadas por quase um século, além de livraria, gift shop, boutique e cafeteria. Aproveitei o segundo dia da minha estada na capital da Toscana para conhecer o lugar, que conta a história de uma das grifes mais famosas do mundo, inciada em 1921, por Guccio Gucci. Naquele ano ele abria a primeira loja, justamente em Florença. Seria o começo de um grande império fashion.

A mostra contém os temas “Flora World”, uma coleção de roupas, acessórios e até porcelanas com desenhos florais; “Handbags”, com as eternas bolsas, malas e carteiras; “Evening”, que revela o sonho dos vestidos de red carpet; e “Precious”, com peças raras até mesmo de decoração. Há ainda o espaço “Logomania”, onde está a evolução do monograma duplo G; o “Lifestyle e Sport”, com produtos inspirados no mundo do desporto e do lazer.  Ao todo são inúmeras bolsas, sapatos, cintos, malas, vestidos, louças e até peças inusitadas como abajur com o logotipo da Gucci e um Cadilac grifado. Para completar, no Contemporary Art são exibidos vídeos, documentários e filmes para os quais a Gucci colaborou, como para a Film Founadation, de Martin Scorcese e projetos da Gucci Tribeca Documentary Fund.

Todo este consagrado trabalho é mostrado em três andares, em salas temáticas de acordo com seus símbolos icônicos, tais como uma enorme coleção de ready-to-wear, acessórios, objetos, documentos e fotografias. Há ainda um charmoso café, uma livraria com obras de moda, fotografia e arte, um espaço de venda de souvenirs da grife e uma pequena loja “Icon” – onde tem-se a possibilidade de comprar artigos da exclusiva Icon Collection, incluindo carteiras como New Jackie, New Bamboo, Stirrup, Horsebit Chain, bem como mocassin horsebit, lenços Flora, todos desenhados pela Giannini especialmente para o museu. Um lugar para passar agradáveis momentos, descobrir um pouco mais sobre a Gucci e ainda levar para casa alguma lembrança da grife. vale o passeio!!

1233a4567

?

?

Gucci Museum, Florence, Italy.

111213 (2)1415161819202122242526282930313334353637

Desfile Puchullu e Soller para a Casa da Amizade

No entardecer desta quinta-feira aconteceu o badalado Happy Hour anual da Casa da Amizade, no Águas Claras, em Santa Cruz do Sul. O evento beneficente contou com um desfile da coleção Verão 2016 e Moda festas da Puchullu, e acessórios da Soller. A produção dos cabelos das modelos ficou por conta da equipe Espaço da Beleza Benícia Mendez e a maquiagem por Aline Martins. As fotos deste post foram cedidas pela fotógrafa Marina Winck, do Bela Santa. Veja como foi o desfile e os bastidores:

11891418_665737026859737_1117630245294987397_o11143464_665713820195391_1126397480007460474_o11891882_665713926862047_2902062764858598349_o11878865_665714300195343_2524294978978524020_o11922883_665718486861591_3943571570955815534_o11935154_665720890194684_6369240411413434140_o11896444_665720790194694_2910804444687367425_o11930992_665721176861322_8368950080236063472_o135677a891011121314151617181919a19b2020a21222324252627282930313233343536373839424043foto 1 (12)foto 2 (12)foto 1 (11)foto 3 (9)foto 1 (13)foto 2 (13)foto 3 (11)foto 3 (12)foto 1 (14)foto 5 (7)foto 1foto 3 (10)11952865_665738653526241_2181309141964153910_o